Radioterapia

 
As informações contidas nesta página são orientações gerais. Elas nunca devem substituir as especificações feitas pelo médico para o seu caso.
 
1.Em que consiste o tratamento radioterápico?
 
            O tratamento radioterápico apresenta diversas funções: reduzir a pressão causada pelo tumor e reduzir a dor; parar o crescimento dos tumores; curar certos tipos de tumores e outras doenças.
 
2.Por que a radioterapia é aplicada antes da cirurgia?
            Para reduzir o tumor, diminuir o sangramento, etc.
 
3.Por que a radioterapia é aplicada depois da cirurgia?
            Para parar o crescimento de células tumorais residuais.
 
4.Por que, em alguns casos, a radioterapia é utilizada no lugar da cirurgia?
           Algumas vezes, o tumor pode ser destruído pela radioterapia, não havendo necessidade de procedimento invasivo. A radioterapia pode, ainda, ser empregada em conjunto com a cirurgia e/ou com quimioterapia e hormonioterapia. 
 
5.Como funciona a radioterapia?
          Em geral, a radioterapia funciona da seguinte forma: a área doente é exposta a raios de alta energia, sendo todas as células afetadas. Contudo, as células saudáveis se recuperam rapidamente, enquanto as células doentes são lesadas ou destruídas e param de se reproduzir. 
 
6.O paciente submetido à radioterapia pode estar exposto à radiação? Em qual intensidade?
            Depende da radiação e da intensidade. Esse paciente deve se proteger, por exemplo, da radiação solar. Antes de realizar outros exames que envolvem radiação (raios x, cintilografia, etc.), o paciente deve consultar o médico que o acompanha.
 
7.A radioterapia é recomendada no tratamento de todos os tipos de câncer? 
            Não. A radioterapia é aplicada dependendo do tipo do câncer e do estágio da doença. Por exemplo, raramente se recomenda esse tratamento para leucemias. Raramente, também, a radioterapia é usada como forma exclusiva de tratamento. Quem vai decidir isso é a equipe multidisciplinar que acompanha o paciente.
 
8.Em quais tipos de câncer ela é mais eficiente?
            Ela é eficiente em todos os casos para qual ela for indicada. As respostas desse tratamento variam muito de acordo com o estado da doença de cada paciente.
 
9.Quais são os efeitos colaterais da radioterapia?
           Eles variam em função da área tratada e da dose. Muitos efeitos colaterais, porém, desaparecem rapidamente após o término do tratamento. Alguns deles são:

-tristeza - é o estado emocional mais comumente observado. Uma atitude positiva perante o tratamento ajuda muito;

-cansaço - dormir bastante e alternar períodos de atividades com períodos de repouso;

-náusea e vômitos - podem ser controlados com medicação. Mudanças na dieta, redução dos condimentos (pimenta e temperos fortes) podem ajudar;

-perda do apetite - refeições devem ser feitas em pequenas quantidades e com mais freqüência;

-diarréia - a irradiação do abdome pode desencadear aumento das evacuações. Beber muito líquido e evitar alimentos com muitas fibras (vegetais crus e frutas frescas como laranjas) são dicas importantes;

-mudança de paladar - a irradiação das lesões na boca e no pescoço alteram a capacidade de perceber o sabor dos alimentos. Ao término do tratamento estas alterações voltam ao normal após um determinado período;

-boca irritada - durante o tratamento de lesões de cabeça e pescoço, a boca fica ressecada e muitas vezes com lesões do tipo "aftas". Manter a boca úmida e limpa, fazendo bochechos com água bicarbonatada ajuda bastante.
 
10.O que o paciente pode fazer para contribuir com o sucesso do tratamento?
-proteger a área de tratamento;

-usar roupas confortáveis;

-proteger a área de tratamento do sol;

-evitar o uso de sabonetes perfumados, perfumes, bolsas quentes ou frias;

-comer alimentos saudáveis;

-beber bastante líquido;

-não consumir bebida alcoólica;

-avisar o médico sobre medicações que já faz uso;

-perguntar sobre suas dúvidas durante as revisões semanais.
 
11.Há algumas sugestões que possam contribuir para reduzir as náuseas dos pacientes em tratamento radioterápico?
           Sim. Algumas delas são: fazer refeições em pequenas quantidades e várias vezes ao dia (pelo menos seis vezes); ingerir alimentos em temperatura ambiente; ingerir lentamente bebidas geladas; manter a higiene oral; evitar fumar; evitar bebidas alcoólicas, café, chá preto e chá mate; evitar sentir o cheiro de comida durante o seu preparo; evitar frituras, alimentos gordurosos e muito temperados e doces concentrados, como o de leite, goiabada, marmelada, cocada, calda de compota, creme e bolos recheados; evitar comer uma ou duas horas antes da quimioterapia; não deitar logo após as refeições.
 
12.O que fazer em caso de perda do paladar?
           Enxaguar a boca antes das refeições; usar como tempero vinagre, suco de limão e orégano (acentuam o sabor); chupar balas amargas, azedas ou gotas de limão para estimular o reaparecimento do gosto.
 
13.O que fazer em caso de ressecamento da boca (xerostomia)?
            Fazer a higiene oral com freqüência; aumentar a ingestão de líquidos durante o dia e beber pequenas quantidades de líquidos durante as refeições; acrescentar molhos e caldos nos alimentos.
 
14.O que fazer em caso de aftas (mucosites)?
           Aumentar a ingestão de líquidos; evitar alimentos muito quentes ou muito frios; dar preferência a alimentos macios, fáceis de mastigar e engolir, como purês, sopas, cremes, pudins, gelatinas, mingaus, vitaminas e carnes moídas ou desfiadas; evitar alimentos ácidos, crus, duros e secos.
Fazer a higiene oral com freqüência (30 minutos após as refeições e a cada quatro horas, usando escova de dentes macia, creme dental não-abrasivo ou solução de bicarbonato com sódio); limpar a prótese dentária quatro vezes ao dia; umedecer os lábios com manteiga de cacau; ingerir dois litros de água por dia; fazer bochechos com solução de água bicarbonatada (diluir uma colher de chá de bicarbonato de sódio em duas xícaras de água).
 
15.O quer fazer em caso de diarréia?
           Usar regularmente a medicação prescrita; fazer refeições pobres em fibras; aumentar a ingestão de líquidos por dia (água + refresco + chás); evitar alimentos muito frios ou muito quentes; evitar os alimentos considerados laxativos (verduras cruas ou cozidas, alimentos integrais e frutas como laranja, mamão, abacate e ameixa), dando preferência por maçã sem casca, goiaba, limão, melão e banana; evitar alimentos gordurosos como leite integral e seus derivados (creme de leite e queijos gordurosos); reduzir o consumo de açúcar refinado, açúcar mascavo e mel.
 
16.O que fazer em caso de prisão de ventre (obstipação)?
          Beber muito líquido durante o dia (os líquidos quentes aumentam o trânsito intestinal); aumentar o consumo de frutas (mamão, laranja, abacate e ameixa), ingerindo sempre que possível o bagaço; aumentar o consumo de verduras cruas e cozidas; evitar o consumo de maisena, creme de arroz, fubá e farinha de trigo.